03 julho 2014

Chegando a hora do financiamento habitacional


Agora que você já visitou todos os stands, já escolheu o bairro, já viu todos os custos/benefícios, as obras do condomínio não estão atrasadas, e você já recebeu uma notificação da construtora informando sobre a proximidade do habite-se, provavelmente você deve estar se perguntando: e agora?

Se possível, não faça qualquer outro financiamento/empréstimo antes de concluir a assinatura do contrato.

Muita gente não sabe, mas os bancos só aceitam fazer um financiamento/empréstimo se a parcela referente ao pagamento não comprometer nada acima de 30% do seu salário bruto. A Caixa Econômica Federal (banco onde a maioria das pessoas faz o financiamento habitacional) realiza uma pesquisa minuciosa para estipular o seu "poder de crédito" (a chamada margem consignável). Para isso, ela investiga junto ao Banco Central se você já possui outros financiamentos/empréstimos abertos em seu nome. No caso de empréstimos consignados, o valor da parcela que se paga vem explicitamente discriminado no seu contra-cheque (holerite).

Pergunte à construtora se é possível financiar o seu imóvel na agência da sua escolha

Alguns empreendimentos vinculam o financiamento de suas unidades à bancos e agências específicas. Isso  em muitos casos atrasa/inviabiliza a abertura de financiamentos na agência que fica do lado da sua casa/trabalho. Tais documentos incluem o tão falado habite-se, laudos de vistoria feitos pelo banco

Taxas durante a contratação do financiamento

Se você não perguntar, é óbvio que eles não vão lhe informar: há uma série de custos inclusos na contratação de um financiamento, entre eles:

  • Taxa de aprovação de crédito: uma taxa, normalmente inferior a R$50,00, que os bancos cobram para aprovar o seu crédito. Nessa taxa devem estar inclusas pesquisas cadastrais, dentre outras operações. Normalmente eles pedem documentos como RG (carteira de identidade), CPF, os três últimos contracheques e a última declaração e recibo de imposto de renda (no caso de utilização dos recursos do FGTS).
  • ITIV (Imposto sobre Transmissão InterVivos): é calculado pela prefeitura da cidade onde o imóvel se localiza.
  • Custas Cartorárias: Todo o custo que envolve a transferência do imóvel para o seu nome
No final das contas, as taxas pagas somarão o montante aproximado de 1% do valor a financiar. Esteja preparado.

Veja Também:
Comprando o seu primeiro apartamento


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Comentários
0 Comentários

0 comments:

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;