09 dezembro 2006

Tempo, dá pra andar mais rápido?


As coisas já foram mais simples. Mais amenas, mais carinhosas, mais prazerosas, mais bonitas... O sorriso era tão mais solto, mais leve... A gente sente falta quando tudo fica tão distante assim, de repente... Dói tanto... Sinceridade mata, eu sei, já deixei muita gente em coma por isso. Mas não pensei que ficaria em coma também...



"Superficialidade"... A sonoridade desta maldita palavra ainda ecoa em meus sonhos. É realmente difícil olhar para trás e ouvir que tudo foi "superficial"... Talvez palavra dita sem cuidado, talvez a mais pura verdade... A essa altura já não há mais como saber. Tive vontade de chorar, mas as lágrimas teimaram em não querer sair... "O estrago já foi feito", eu disse, mesmo sem saber se outros a partir dalí viriam. E realmente vieram. Mais palavras duras, lugar errado, mas dessa vez na hora errada. Agora os pensamentos também me são tolhidos... Minha voz agora emudece, apequena-se em face da virtude que não tenho... Sinceridade fere. Fere de morte. Mas sabemos todos nós que ela é valiosa, e há recompensa para todas as palavras ditas sob a sua escuderia. O tempo? Ah, o tempo... O tempo é tão velho...


É preciso ter paciência com o velhinho, pois ele caminha a passos lentos, cabeça baixa e coluna envergada, e a responsabilidade é grande. Dar uma rasteira nele não é uma boa, porque apesar de velho, ele ainda tem saúde de ferro. O tempo não morre, não fica doente, não esquece onde mora... O máximo que dá pra fazer é caminhar na frente e esperar ele chegar. Mas ainda assim, nem sei se vale a pena... Queria que o tempo tivesse a força da sinceridade, um pouco menos de responsabilidade, e fosse um pouco mais moço... Queria que ele fosse menos rabujento, menos mal humorado... Acho que assim as coisas se amenizariam mais rápido, eu poderia caminhar mais depressa, e talvez alcançasse o que deixei lá atrás...


"Vovô, não esquece os chinelos do lado de fora..."


Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Comentários
2 Comentários

2 comments:

Gabriela Savir disse...

Soriano, vc só esqueceu que embora o tempo seja rabujento, mal humorado, as coisas ruins e as dores só ele tem a capacidade de curar... O Tempo cura tudo! Naum importa a aflição! Conte com o tempo... ele é o seu melhor aliado. Até porque... é com o tempo que constuímos muros e derrubamos barreiras...


Seja feliz Meu amigo

Soriano disse...

Puxa Gaby...

Gosto muito de você, você sabe
Serei feliz enquanto você e todos os meus outros amigos estiverem felizes...

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;