29 janeiro 2009

[O Menino Amarelo] Extração dos Sisos.


Era uma vez, um menino amarelo. E naquela época, o menino amarelo usava aparelho. Havia ficado mais ou menos uns dois anos usando aquele treco nos dentes. Quando finalmente o tiraram da carceragem dentária, sua dentista lhe disse: Olha, você vai precisar extrair esses quatro dentes, tá? Senão a gente vai perder todo o nosso trabalho.


Eis o começo do martírio. Ele extrairia os quatro dentes, dois por vez, sempre do mesmo lado. Os dois primeiros até que foram bem tranquilos, anestesia dada sem problemas, nada de dor, nada de desconforto. Passado algum tempo (acho que mais ou menos um mês), lá ia o menino amarelo, de novo, extrair o resto dos dentes. Acompanhado de sua mãe, ele chega até a sala de espera do consultório.


Irmã da cirurgiã dentista?

Apesar da cirurgiã dentista ser um tanto volumosa, tinha mãos aparentemente leves. O menino amarelo descobriria que isso era tudo mentira (em que planeta a pata de um elefante é leve? oO)... O dente siso superior direito ela retirou sem maiores problemas. E lá vai ela remover o inferior. E cortava a gengiva daqui, e puxava o dente dali... E no meio do caminho a anestesia perdera o efeito e o menino amarelo urrava de dor na cadeira. Sentia-se numa mesa de tortura medieval, ou nas mãos da Inquisição. Pagaria todos os seus pecados naquele dia. Existia meio que uma simbiose entre o menino amarelo e a cadeira da dentista, era difícil saber onde terminava um e onde começava o outro...


Tadinho dele, gente...

Por mais que a dentista gorda parruda tentasse, ela não conseguia remover o dente do menino amarelo. Aparentando estar um pouco cansada, ela chama uma colega. Quando o menino amarelo olha para a tal colega, ele pensa: se essa, que é gorda forte, não conseguiu arrancar o dente, por que essa outra, que é 5 vezes mais magra, vai conseguir? O mais estranho foi ouvir da magrela a seguinte frase: eu acho que é a gengiva dele que tá doendo, você tá dando anestesia no osso?

Uma mistura de dor e ódio irradiava dos olhos do menino amarelo. Completamente imóvel na cadeira, uma gota de lágrima corria nos seus olhos. Depois de muito penar, o menino amarelo sente o seu dente trincar. Com um só puxão, a dentista gorda fofinha puxa a metade do dente, e num outro movimento de pulso, arranca as sobras do dente que ainda restava. Faz lá a sutura, como se tivesse costurando um bife a rolê, e ao final do procedimento, a magricela fala: me desculpe meu lindo, não foi por querer não, viu?

E naquele momento, o mundo parou. Imaginou trocentas maneiras de matar aquela mulher, mas nenhuma delas alimentaria a sua sede de vingança. No final das contas, desejou que ela tivesse estrias nos seios, celulite na barriga, e uma menstruação de 15 dias. Já estaria de bom tamanho... Ao sair completamente zonzo da sala, perguntou à sua mãe, num dialeto meio estranho: cadê todo mundo? As cinco pessoas que estavam na sala de espera há duas horas atrás haviam sumido. Até hoje ele se pergunta o porquê.


28 janeiro 2009

[O Menino Amarelo] Cuidado com o Cansanção!


Era uma vez, um menino amarelo. E o menino amarelo ia pra Bom Despacho (na Ilha de Itaparica) com seus pais, tias, avós e alguns amigos. E vocês sabem como é casa cheia: apenas um banheiro, muita gente, e a natureza às vezes nos traz a infeliz coincidência de duas ou mais pessoas quererem usar o banheiro ao mesmo tempo. Chato né?




Terminal Marítmo de Bom Despacho


Pois bem. Num daqueles dias, havia gente no banheiro. E como tem certas coisas que nem homem pode fazer ali atrás do poste, lá vai o menino amarelo se embrenhar no meio do mato, por detrás da casa, pra fazer o tal number two. Bem que a sua avó avisou: "Cuidado com o cansanção!". Pobre menino amarelo...


Isso é cansanção!
Não, cansanção não tem duas asas.


Caminhava ele cuidadosamente, tentando imitar as peripércias de Virgulino no meio da Caatinga, afastando as plantas com um rolo de papel higiênico. E lá atrás da casa ele acha uma clareirazinha, onde faz, à mãe natureza, o grande favor de adulbar-lhe o solo. Trabalho àrduo e prazeroso aquele, pois logo após se via a expressão de alívio no rosto do menino. Parecia que o raquítico garoto havia emagrecido mais três quilos... Nota mental: cuidado com os pastéis de mortadela presunto


Crianças, aprendam:
é mais ou menos assim que se caga no mato.
Cuidado pra não cagar nos pés!


Quando retorna ao interior da casa, o menino sente uma leve coceira em sua mão. Sua avó diz: menino, mija nessa mão, anda! Conselho: sempre acredite na sabedoria popular. Por quê? Leia isso. E coçava, e coçava de um jeito que era realmente irritante. Parecia que os espinhos do tal cansanção haviam ficado nas mãos do menino amarelo. E as mãos do menino inchavam, e inchavam, e ficaram de um jeito que seus pais foram obrigados a levá-lo de volta para Salvador.

Chegando lá, os médicos ficaram impressionados com o que a tal planta havia feito. O inchaço havia tomado tais proporções, que chegava ao antebraço. O menino amarelo sentiu medo quando os médicos comentaram que talvez fosse necessário fazer um corte na palma da sua mão, para que o inchaço cessasse. E mais ainda, ao ouvir que se o inchaço piorasse, talvez o braço inteiro tivesse gangrena.

Graças a Deus, o menino amarelo melhorou, e ainda possui seus dois braços, pra digitar, pra dirigir, pra jogar MMORPG, e pra tantas outras coisas :)


27 janeiro 2009

[O Menino Amarelo] Raiz forte


Era uma vez um menino amarelo. E o menino amarelo adorava comer. Fazendo hora até a seção de Homem Aranha começar, o menino amarelo vai até a praça de alimentação. Vê a Yang Ping e alguns outros restaurantes de comida japonesa. Daí ele pensa: por que não?

Vai até a Yang Ping e pede 6 peças de sabe-se lá o que. Eis que começa o seu pesadelo... Aquela seria a primeira vez que ele comeria salmão cru. Até que tinha um gosto legalzinho, mas nada comparado ao gosto do polvo. Vocês já comeram lagartixa congelada? É, o gosto é mais ou menos esse. Mas aí algo lhe chama a sua atenção.



Não gente, o menino amarelo não estava comendo sushi
no púbis de uma modelo japinha...
Mas isso seria muito interessante :)



Havia um troço meio esverdeado, ainda mais verde que o padrão do Palmeiras. Ele simpatizou com a cor daquilo... E ficou ali namorando, namorando aquela pasta verde, até que ele a pega com o hashi.


O menino amarelo treinou durante meses,
com duas canetas bic e uma borracha,
a arte milenar de se comer com pauzinho...

Namorou tanto a tal pastinha verde, que resolveu pô-la toda de uma vez na boca (lá ele). De início, parecia bala de gengibre, mas de repente, começou a esquentar. Parecia que o menino amarelo havia tomado um comprimido de Sonrizal sabor Pimenta Malagueta. Sua boca começou a espumar, e a babar, parecia que iria passar de amarelo ao Incrivel Hulk! As moças da limpeza passavam por ele meio que assustadas, meio que rindo, até que ele não a guentou e foi cuspir numa lata de lixo.


Raíz Forte: a tal pasta verde,
extrato de Hulk.

Demorou algum pouco tempo até se recuperar, comeu as outras 3 peças que lhe sobravam no prato, largou o hashi de lado e saiu correndo até o stand do Bobs mais próximo, pra pedir um Ovo Maltine Médio. Vai ver é por isso que até hoje ele meio que briga com a alface, o repolho, a couve, e tudo mais que lhe pareça verde...


19 janeiro 2009

[PapoDeHomem] Tapa na cara durante o Sexo

O PdH é um dos blogs que eu costumo ler todos os dias. Ou, na melhor das hipóteses, semrpe que tem posts novos, já que meu Google Reader vive aberto o dia todo. E hoje de manhã eu me deparo com um texto realmente interessante. Você, mulher, já levou um tapa na cara durante o sexo? Você, homem, já deu um tapa na cara durante o sexo?

Calma, calma, ninguém aqui está fazendo apologia ao sadomasoquismo... Nós sabemos que existem mulheres que nunca tiveram um orgasmo em toda a sua vida sexual, aquelas que encaram sexo como apenas mais uma das obrigações conjugais, ou como pura e simples demonstração de carinho, mas não como algo que pode (e deve) lhe dar prazer também. É importante que cada mulher se descubra intimamente antes, durante e após o sexo.

Sem mais delongas (porque eu não quero contaminar a opinião dos meus leitores - ??? - sobre o post do PdH), segue o link:

Tapa na cara durante o sexo: por que muitas mulheres gostam? - Parte 1

Bom proveito :)

17 janeiro 2009

[O Menino Amarelo] A barra de chocolate


Era uma vez, um menino amarelo. E o menino amarelo pegava mulheres. Tá, tá certo, uma vez ou outra, mas pegava. Certa vez o menino amarelo arranjou uma namorada. E a namorada dele gostava de chocolate. Ela realmente gostava de chocolate...



Em algumas ocasiões, o beijo tinha gosto de chocolate. E tantas outras coisas tinham, literalmente, gosto de chocolate. Até que ela confessou que, dentre as prioridades na vida dela, chocolates tinham vantagem em relação a um namorado. Porque chocolate não vê futebol, porque chocolate não sente ciumes, porque chocolate não enche o saco sobre as roupas curtas, porque chocolate atura T.P.M, porque, porque, porque... Até que o menino amarelo teve uma idéia.



E ele viu o amor da namorada pelo chocolate. Era algo... promíscuo. E o menino partilhou dessa promiscuidade achocolatada por algumas horas. Destilou toda a sua raiva nas calorias ganhas com o chocolate, e perdidas com o beijo de sua namorada. Até que chegou a hora de se despedirem. Ele a levou para o ponto de ônibus, esperando que ele chegasse... E levou-o consigo para a sua casa, afim de realizar, enfim, o seu plano:


E o menino amarelo embriagou o chocolate. Deu-lhe doses e doses de álcool. Chegou ao ponto de servir-lhe álcool vendido em farmácia... E quando menos esperava, banhou o seu inimigo com o combustível da sua vingança. Foi até a cozinha... E acendendo um fósforo, lhe disse: Fiat jvstitia, rvat coelvm (Faça-se a justiça, mesmo que desabem os céus). E assim, era uma vez um chocolate...

P.S.: Qualquer dia desses eu penso numa vingança pro final da novela das 20h...


Remuneração Pretendida - Nunca pergunte por telefone.

Tá aí... Em todos os primeiros contatos de empregadores, por telefone, que eu já tive, pra todos eles eu perguntei quanto eles estariam dispostos a pagar para o candidato à vaga. E todos eles responderam com a mesma ladainha: não posso fornecer esse tipo de informação no momento...

Acho que minha cara de c* se parece com isso
Eu acho que minha cara de c*
meio que se parece com isso


Eu, com a minha cara de c*, às vezes deixo de ir para as entrevistas de emprego, com o pensamento retrógrado: tô há tão pouco tempo trabalhando nessa empresa... será que mais uma página da carteira de trabalho com só 3 meses de duração não vai queimar meu filme no mercado de trabalho? Sim, porque, querendo ou não, esse é o período de experiência de qualquer empresa. E se você sai nesse período, não há quem não pense: esse ai não durou muito tempo, tavam só esperando o periodo de experiência passar pra dispensar...

E aí, qualquer amigo meu que foi pra mesma entrevista de emprego, me solta a bomba: velho, eles disseram que pagam X.XXX,XX com contrato renovavel por x tempo... E a prova tava fácil... Seria um belo OWNED, se não fosse um FAIL

[A coisa rosa III] Manual Prático do pernoite a dois.

Fazia muito tempo que eu não ria tanto... Nem as piadas do nerdson, nem as tirinhas do Dr Pepper, nem o manual do cafajeste, nem as tolices do orkut... Nada disso conseguiu me tirar um riso daquele tamanho. E o mais engraçado é que eu conheço a figura! :)

E pra ajudar a divulgar, ai vai: Manual Prático Do Pernoite A Dois, por Mônica Paz. Manda ver, garota!

Tira a poeira das asas, meu anjo...

Tira a poeira das asas, meu anjo. O sol brilha tão lindo lá fora... Os pássaros cantam, as flores desabrocham, e há sorriso nos casais enamorados, deitados na grama do parquinho ali ao lado... As crianças brincam tão felizes, alheias a tudo... E por que as suas asas andam tão empoeiradas?

Tira a poeira das asas, meu anjo. Ainda há tanta coisa por fazer... Um filme engraçado a dois no cinema, uma bebida qualquer num barzinho diferente, um caminhar sem destino de mãos dadas ao vento... Aqueles dois idosos parecem ignorar que já passaram por tanta coisa juntos, olha só o sorriso deles, tá vendo?

Tira a poeira das asas, meu anjo. Não se entrega... Não me dá a opção da escolha, ainda prefiro que você lute... É tão lindo o brilho que sai dos seus olhos quando você sorri... O teu toque fica tão mais macio, o seu abraço fica tão mais quente... O teu beijo fica tão mais doce...

Tira a poeira das asas, meu anjo, já tá na hora de voltar a voar...

16 janeiro 2009

SCJP - 02 - Herança e relações TEM-UM e É-UM

Olá, meus caros! Estou eu aqui continuando com os meus estudos (parcos e espaarsos) para a certificação (cujo voucher eu nem adquiri ainda). O engraçado é que a gente passa por alguns tópicos, acha que sabe tudo sobre eles, e é induzido inconscientemente a pulá-los. Conselho: não façam isso :D Lendo o primeiro tópico do segundo capítulo, me deparei com dois conceitos. IS-A (é um) e HAS-A (tem um). Não, minha gente, isso não tem nada a ver com métodos acessores (getters e setters), ou com coleções (contains()). Isso tem mais a ver com UML :) Como nós programadores java sabemos, existe uma palavra chave chamada instanceof, que nos diz se um objeto é instância de uma determinada classe.

SCJP - 02 - Encapsulamento

Eu realmente pensava que o gerador de código do Eclipse era bacaninha... Mas de vez em quando ele faz umas coisas meio toscas, que dão trabalho pra gente descobrir depois :(

14 janeiro 2009

SCJP - 01 - Mais sobre os enums

Não sei dos outros programadores java auto-didatas, mas eu sempre guardei em mente que os enums não passavam de uma coleção de constantes com um label associado a cada uma delas. E é interessante como a gente muda de conceito, ou aprende mais sobre tal, lendo uma fonte com um foco direcionado. Pois bem, um enum não é só isso. Ele é um tipo especial de classe, que pode possuir construtores, membros e métodos.

SCJP - 01 - Método com lista de argumentos variável

Mais uma vez, estudando (pouco, mas estudando) pra certificação. Vi que em java, a partir da versão 5, é possível fazer um método com lista de argumentos variável, como em C/C++ (faz muito tempo que eu não programo nessas linguagens)...

12 janeiro 2009

Espaço Unibanco de Cinema

Mais um post corrido. Lembrei (não, dessa vez não foi de ninguém em especial) das minhas caminhadas Comércio-Lapa, quando passei pela Praça Castro Alves e vi que um cinema novo estava pra ser inaugurado. Era o Espaço Unibanco de Cinema. Ainda não entrei no espaço, mas parece ser um lugar bem bacana, a exemplo dos cinemas do circuito da Sala de Arte. O link para o site do Espaço Unibanco de Cinema segue abaixo:
E, como antes, façam bom proveito :)

Funcação Cultural

Olá de novo meu povo! Achei que devia dar mais essa dica... Não, não tem nada a ver com informática dessa vez. Lembrei de Ricardo (de novo, e antes que falem: eu sou macho!)... Ele sempre aparecia com a agenda cultural, com dicas legais de cinema, arte, teatro, música, etc, etc... E como essa agenda é recompilada (ai merda, la vou eu de novo) mensalmente... O link do código fonte vai ai embaixo

http://www.fundacaocultural.ba.gov.br/agendacultural/index.htm

Façam bom proveito :D

09 janeiro 2009

SCJP - 01 - Métodos protegidos versus controle de acesso padrão

De bobeira mais uma vez, e continuando a fazer as minhas notas de estudo, eu achei mais uma coisa que, pelo menos eu, não estava acostumado a ver. Quando queremos definir o controle de acesso a membros e métodos, normalmente nós usamos 3 palavras chave: public, private e protected. Mas alguém tem noção do que acontece se, por acaso, nenhum dos três é definido?

08 janeiro 2009

SyntaxHighlighter no Blogger

Tá, tá, eu sei, já existem muitos tutoriais para o SyntaxHighlighter por ai na internet. Mas, como vocês podem ver no ultimo post, só agora eu o coloquei no blog. Estou colocando aqui um post pra me lembrar dos passos que usei pra que este script funcione corretamente, pois mesmo seguindo os tutoriais encontrados por ai, não foi lá muito facil.
Vamos lá.  Vá no Painel do Blogger, selecione Layout e depois Editar HTML. Aqui começa a diferença. Os outros tutoriais pedem pra vc hospedar os arquivos .js em algum lugar, e apontar pra eles do seu blog. Mas por que não  usar o próprio repositório SVN do SyntaxHighlighter? Copie o código a seguir e cole antes da tag </body>

<link href='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Styles/SyntaxHighlighter.css' rel='stylesheet' type='text/css'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shCore.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushCpp.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushJava.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushSql.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushPhp.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushCss.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushJScript.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushCSharp.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushXml.js'/>

<script class='javascript'>  
//<![CDATA[  
    function FindTagsByName(container, name, Tag)  
    {  
        var elements = document.getElementsByTagName(Tag);  
        for (var i = 0; i < elements.length; i++)  
        {  
            if (elements[i].getAttribute("name") == name)  
            {  
                container.push(elements[i]);  
            }  
        }  
    }  
    var elements = [];  
    FindTagsByName(elements, "code", "pre");  
    FindTagsByName(elements, "code", "textarea");  
   
 for(var i=0; i < elements.length; i++) {  
  if(elements[i].nodeName.toUpperCase() == "TEXTAREA") {  
   var childNode = elements[i].childNodes[0];  
   var newNode = document.createTextNode(childNode.nodeValue.replace(/<br\s*\/?>/gi,'\n'));  
   elements[i].replaceChild(newNode, childNode);  
     
  }  
else if(elements[i].nodeName.toUpperCase() == "PRE") {  
   brs = elements[i].getElementsByTagName("br");  
   for(var j = 0, brLength = brs.length; j < brLength; j++) {  
    var newNode = document.createTextNode("\n");  
    elements[i].replaceChild(newNode, brs[0]);  
   }  
  }  
 }  
  //clipboard does not work well, no line breaks  
  // dp.SyntaxHighlighter.ClipboardSwf =   
  //"http://marcin.doman.googlepages.com/clipboard.swf";  
  dp.SyntaxHighlighter.BloggerMode();
  dp.SyntaxHighlighter.HighlightAll("code");  
//]]>
</script>

Feito isso, vc ja pode ver o código fonte formatado mais ou menos como vc quer no seu post. Caso nao esteja funcionando corretamente no firefox, mova o trecho

<link href='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Styles/SyntaxHighlighter.css' rel='stylesheet' type='text/css'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shCore.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushCpp.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushJava.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushSql.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushPhp.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushCss.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushJScript.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushCSharp.js'/>
<script language='javascript' src='http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/shBrushXml.js'/>

para antes da tag </head>, depois abra o arquivo

http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Styles/SyntaxHighlighter.css

Copie o conteúdo e cole entre as tags <style class="text/css"></style> de forma que fique antes os js's acima citados. Feito isso, remova a tag abaixo do código

<link href="http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Styles/SyntaxHighlighter.css" rel="stylesheet" type="text/css"></link>

Caso o seu blog exiba imagens de fundo para as tags <li>, você, além de inserir manualmente o css, como no passo anterior, também precisa adicionar o trecho

div.dp-highlighter li {
  background-image: none;
}
Se você abrir o mesmo post no firefox e no IE, por exemplo, perceberá que existe um link para "copy to clipboard". No firefox, mesmo que vc o insira manualmente (usando o ClipboardSwf, como mostrado abaixo),

dp.SyntaxHighlighter.ClipboardSwf = "http://syntaxhighlighter.googlecode.com/svn/trunk/Scripts/clipboard.swf"
dp.SyntaxHighlighter.BloggerMode();
dp.SyntaxHighlighter.HighlightAll("code");

ele não funciona. Bem, é isso... Espero que quem tenha encontrado dificuldades como eu consiga resolver (ainda que parcialmente) os problemas com esse tutorial meia boca ;)

SCJP - 01 - Declarações e Controle de Acesso

Eu resolvi começar a estudar para a certificação java, depois de ouvir conselhos de diversos amigos sobre como isso me daria vantagens no mercado de trabalho. Um colega de faculdade (dale Gabriel Santana) me passou o pdf do SCJP Sun Certified Programmer for Java 6 (in english) e a partir de agora (e enquanto durar a motivação) eu vou postar aqui algumas das minhas notas de estudo em relação ao assunto. Para facilitar a localização, eu colocarei no começo de cada post a sigla SCJP, seguida do número de um capítulo, seguido de um título, que definirá o tópico correspondente no livro da certificação :)

Você gostou?