18 fevereiro 2009

Homem de verdade...

Hoje eu acordei com umas idéias meio toscas na cabeça... Fiquei aqui imaginando quando é que alguém se reconhece um homem de verdade. Sim, essa é uma pergunta que eu nunca havia me feito antes (eu acho). E nem falo dos tantos tipos de homem existentes, que variam do sensível ao bruto, discutidos em tantos outros blogs por ai (como o Papo de Homem, o Manual do Cafajeste e outros mais).

Com certeza, não é quando se descobre que há um certo volume a mais entre as pernas. Isso eu descobri ainda criança, quando eu perguntei à minha mãe "o que é aquele negócio rachado ali no meio das pernas da Aninha". Também não é quando se descobre que sai esperma dele. Tá, tudo bem, essa é uma das maiores descobertas do mundo masculino: o orgasmo.  Também não me vi um homem mais completo depois que perdi minha virgindade. Apesar de ter sido um dos dias mais engraçados da minha vida, não senti nada diferente, além da necessidade de manter uma vida sexual ativa depois disso.

Parece que as coisas realmente tomam seu devido valor quando se agrega responsabilidade às nossas vidas. Negativo, eu não estou falando de filhos. Eu falo de acordar cedo, pegar um ônibus lotado, trabalhar das oito às dezessete (possivelmente ouvindo coisas que não lhe agradam tanto assim), contribuir financeiramente dentro de casa, pagar suas contas, manter uma vida social razoavelmente satisfatória. Você passa a ser capaz de realizar pequenos caprichos, como finalmente poder dividir a conta do bar com os seus colegas de faculdade. Agora você também pode comprar o celular da promoção na TV, com um plano de minutos suficientemente grande, pra você não sentir necessidade de se comunicar via torpedos com a mulher dos seus sonhos. Até dá pra se sentir o máximo, parado na frente da seção de camisinhas da farmácia...

E sim, eu também falo de manter um relacionamento afetivo com uma mulher, se esforçar pra suprir as necessidades dela enquanto mulher, as suas enquanto homem, e as de ambos, enquanto casal. E a gente faz aquela força incrível pra não pensar só na gente, ali, na cama... Falo de quando se consegue ter personalidade o suficiente para ceder, e para exigir, quando necessário. É difícil se manter firme, e ao mesmo tempo tirar as idéias malucas de uma cabeça confusa (a dela e, talvez, a sua também), aturar algumas patadas de mulher em TPM, enchugar as lágrimas dela nos momentos difíceis e ao mesmo tempo resolver os próprios problemas (pequenos ou enormes, não importa).

E depois de pensar nisso tudo, eu ainda fico me perguntando: eu realmente sou um homem de verdade?
Comentários
1 Comentários

1 comments:

Aline Brandão disse...

É individual se sentir ou não "um homem de verdade", isso varia de acordo com os objetivos de cada um, de se sentir realizado ou não... Para alguns homens essa realização vem com o emprego tão desejado, para outros a constituição da família é a grande conquista. Mas quer saber uma coisa? Pra mim você é um homem de verdade! Inteligente, dedicado, bom amigo e sabe o que quer (na maioria das vezes)...

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;