30 julho 2006

Com o coração não se brinca...

A gente sempre fica se perguntando o quanto temos controle sobre as nossas emoções. Ficamos controlando nossas reações, para evitar possíveis decepções, exasperações, feridas mortais. Tentamos não nos magoar, e nem às pessoas que estão ao nosso redor... Sempre estive nos dois extremos nesse assunto: autocontrole extremo e devoção incondicional. Hoje, vejo que eu deveria ter ficado bem ali, no meio... Há um mês eu iniciei um relacionamento de risco. Estava saindo com uma mulher casada. Vocês me diriam: Soriano, logo você? É, eu sei. Ela foi a única pessoa que me deu um carinho de mulher em muito tempo, eu não poderia diexar passar. Começamos a conversar sobre nós, nossas carências, até que decidimos começar a nos encontrar para algo mais que um bom papo, por assim dizer. Saímos umas duas vezes. Acontece que todo mundo na rua ficou sabendo disso. As pessoas me olhavam com um ar de "Soriano, aquele carinha quieto, sério, que ninguém dava nada? Quem diria...", mas isso não me incomodava em nada. Parece que a ela incomodava... Há duas semanas atrás, a gente havia marcado de se encontrar. Ligo para ela umas duas horas antes de sair de casa, e ela acaba desmarcando. Disse estar com dor de cabeça, indisposta. Acabei deixando para lá... Acontece que minha mãe já havia me dito muita coisa a respeito dessa mulher. Eu estava disposto a discutir isso com ela, a conversar, esclarecer as coisas. Pedi pra que a gente se visse este final de semana. Mais precisamente, ontem. Ela desmarcou um dia antes, dizendo que ia trabalhar. Ela me diz que quase sempre trabalha dia de sábado... Ouvi comentários na rua de que ela não trabalha, e sim se "diverte" com um homem um pouco mais velho que ela, com algum montante em bens e espécie. Ela diz que nos encontraríamos hoje, para ter a tal conversa. Acordo de manhã, ligo o celular, e quinze minutos depois, o celular toca. Um torpedo SMS. "feliz anive/desejo tudo d bom p vc/bjos". E só. Ela havia me enviado esse torpedo às 06:37:01, segundo a minha operadora... Fico pensando no que ela está pensando disso tudo. O que será que ela queria, desde o começo... Disse-me: "não quero te fazer sofrer". Eu sei que isso tudo não poderia passar de diversão, no máximo, um caso onde duas pessoas matam suas carências afetivas e só. O fato é que não houve sinceridade desde o começo. Nunca quis ser poupado do que ocorre na vida dela, nem ser protegido de quaisquer circunstâncias mirabolantemente desagradáveis. Queria apenas sinceridade, fundamental até mesmo numa amizade. Sinceridade e respeito, que sempre a dediquei, mesmo que ela não merecesse... Não que eu esteja chorando pelos cantos, pensando ser incapaz de fazer uma mulher de 41 anos feliz, ou ao menos um pouco mais solta. Não mesmo. O fato é que eu detesto servir de joguete nas mãos delas. Mesmo porque elas se dizem tão sensíveis, e quando encontram um homem tão quanto, desfazem-se dessa postura cândida para assumir uma outra, mais parecida com um carrasco inquisidor... Vejo que eu vou ter que mudar o meu jeito de ser, de novo. Mais alguns anos de trabalho duro, interiorizando algumas coisas com as quais eu não concordo... Passei longos 6 anos da minha vida tentando entender o comportamento dúbil das mulheres, fiz algumas conclusões a respeito do que a maioria delas fala, e até hoje não consigo colocá-las em prática. Começo a achar que toda aquela fala bonita é só propaganda política, a velha conversa pra boi dormir, apenas pra tentar débilmente justificar o terrível hábito de achar que todos nós somos iguais. Algo como aquele papo de solidariedade mascarada, com segundas intenções. Ou, na pior das hipóteses (espero estar mesmo errado), pura hipocrisia. Eu sou a prova viva de que isso é mentira! Nem todos os homens são iguais! Vocês não sabem mesmo o que querem...
Comentários
3 Comentários

3 comments:

A disse...

Bem, algumas frases sobre as mulheres q eu tenho q concordar.

"Ela é uma mulher. Tem muito mais amor próprio do que amor".
"Não quero ser sócio de um clube que me aceite como sócio". Eu não entendi essa frase até hj direito.
A última palavra é sempre deles. "Sim, claro querida".
Somos seres terrivelmente manipuladores.
NEM TODAS SÃO VOLÚVEIS. E AS QUE O SÃO, NÃO SÃO EM TODOS OS ASSUNTOS.

A disse...

E que propaganda política é essa que vc fala?

Obs: extremos nunca são bons. Pense nisso.

Soriano disse...

Ontem , estava eu jogando Need For Speed Most Wanted, p da vida por não conseguir subir na backlist, quando o celular toca. Uma mensagem. "Tem um pouco de paciencia bjos". Saba de quem era, mesmo sem olhar o remetente.

Hoje de manhã, ela pergunta se eu recebi a mensagem. Eu respondi friamento: "Sim, recebi". Ela deu um sorriso, e calou-se. Ainda sem lhe olhar os olhos, disse: "Paciência é uma virtude... Virtude que eu não tenho e pagaria por ela se pudesse... Ainda mais ter paciência por algo que nem sei...".

Tentou me fazer entender com poucas palavras, apenas um "você sabe". Eu me calei, e alguns minutos depois, eu perguntei: "Você ainda quer conversar sobre isso?", com um ar áspero na voz. Ela disse que sim, e ligaria para marcar alguma coisa.

Quando desceu no ônibus, deu-me um beijo no rosto. Eu nem um tchau lhe dei...

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;