07 julho 2006

Lazer X Saúde

Estava eu, no ônibus, dormindo, e pensando em quanto tempo falta para acabar o semestre. Apaguei várias vezes durante a viagem de volta para casa (1 h e 30 min de Ondina até Nova Brasília, na mesma cidade: Salvador). Passei pela porta da academia onde malho (há duas semanas, apenas) duas vezes, e resolvi filar (cabular) naquele dia (ontem). Cheguei ao meu destino, desci do ônibus, e vim caminhando pra casa, até encontrar um vizinho, tão maluco quanto eu, com teorias parecidas sobre as mais diversas coisas... Paramos no meio da rua. Ele havia reclamado de nunca mais ter me visto (saio às 6 h e volto somente às 22 h), sentia falta das pirações a respeito da "mente humana", da sociedade capitalista, etc. Conversa vai, conversa vem, e ele diz que eu estava precisando me divertir um pouco, sair, beber, jogar conversa fora... E aí eu, na minha mania de tentar gerar risos nas situações mais controversas possíveis, solto um "eu tô mesmo precisando é de mulher!". Risos altos e descontrolados bem no meio da rua. Eu realmente não estava mentindo, nem ele... O lazer faz parte da saúde do corpo e da mente. Pessoas que vivem enfiadas em seus afazeres rotineiros perdem a noção de tempo, de espaço, se sentem desmotivadas, depressivas. Mais do que proporcionalmente, a sua atenção e desempenho nessas atividades cai, o relacionamento com os colegas de trabalho se deteriora, e um efeito dominó surge a partir daí. Seus chefes e supervisores notam a queda de produtividade, alertam a primeira, a segunda, e na terceira vez a demissão é anunciada. A desmotivação e baixa estima se agravam, devido ao desgaste físico e emocional de se galgar um novo emprego (trabalho, bico, ou qualquer outra coisa que gere dinheiro, cascalho, etc). Quando o fator família entra em cena, o fato de se morar numa casa com esposa e filhos causa um estresse ainda maior, por adicionar ao estado "rotino-depressivo" pesos de origem como "contas a pagar", "escola dos meninos", "comida", "roupas", "prazer do casal", etc. Mas de que tipo de lazer estamos falando? As pessoas de divertem com as mais variadas coisas, que vão desde a um aquário com peixinhos comendo ração, uma fazenda de formigas até altas casas de swing, uma foda bem dada dentro do ônibus, ou no quintal ao meio dia. E quanto mais as máscaras são deixadas de lado, mais as pessoas conseguem se libertar do estado de estresse inevitável e aliviar as suas tensões. É algo parecido com a punheta que um cara na seca (falta de namorada, motherfuck, primas gostosas ou fuckfriend) bate no banheiro. E não é preciso ser um psicólogo para entender que isso realmente é verdade. Seres humanos, apesar de serem apenas "macacos que deram certo" (Manson, tô pegando o seu termo emprestado, tá?), não somos máquinas sem cérebro, afinidades, sentimentos. Pessoas bem humoradas se divertem, de fato. Elas contagiam o ambiente de trabalho, tornando o dia menos torturante. Conviver com pessoas como estas também nos passa um pouco dessa energia. E outro efeito dominó surge daí. Com uma pessoa bem humorada em nosso convívio, todas assim se tornam, e o grupo só tem a ganhar com isso. O desempenho no trabalho aumenta, os supervisores notam, criam estima por aqueles que mais de destacam, e uma promoção pode estar em vista. Tornamo-nos pais melhores, filhos melhores, maridos e esposas mais carinhosos, amigos mais prestativos, pessoas mais auto-confiantes... Mais uma prova de que o lazer é, deveras, importante para a sanidade do homem. E com o que as pessoas bem humoradas se divertem? Uma boa foda, uma transa bem feita, um amorzinho gostoso, uma cerveja bem gelada, um baba (pelada, pros sulistas) no final de semana, um papo de barzinho, um filme pornô numa festa de pijama, enfim, quase qualquer coisa pode servir para distrair a mente de quem vive enfurnado na frente de um PC, ou numa cozinha de restaurante, numa loja atendendo a clientes chatos, num hospital em pleno carnaval, etc. O que vale é se livrar (de modo sensato) das tensões do dia a dia, para retomar o ânimo, a energia para aturar mais uma semana de estresse. E se isso não bstar, apenas levante a cabeça, olhando pro céu, e não esperando que alguém te ouça, diga: "Fudeu...". Veja também: E dê algumas risadas... Isso vai fazer bem, eu prometo. O axioma de Manson O discurso de formatura de Manson Procurando um emprego Procurando um cú A nova onda é putaria de bom senso
Comentários
1 Comentários

1 comments:

Soriano disse...

Há uma semana eu estava escrevendo apenas para desabafar. De dois dias para cá, após uma boa noite de sono e meia hora de conversa jogada fora, sinto-me bem melhor...

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;