19 junho 2006

Nerd? Eu?

Indo da faculdade para o ponto de ônbus, eu e uma amiga minha estávamos conversando sobre coisas diversas, e aí eu fiz a pergunta: "Eu sou nerd?" Achei que ela não fosse responder, mas eu ouvi um "Eh, bem, deixa eu ver..." e depois de uns quinze segundos: "É, é sim". Paramos em um sinal de trânsito de um cruzamento, e o ônibus dela estava parado. Ela correu até o ponto de ônibus mais próximo, já se despedindo e eu fiquei com aquela idéia na cabeça. Olhando para o mar, sentindo a brisa no rosto, e faltando mais ou menos duas horas para o próximo compromisso familiar, resolvi andar um pouco, pensando no assunto. Nerd? Eu? Todos os amigos que eu conheço só ouvem rock, de preferência, heavy metal, ou rock que fala muito (ou só fala) de obsenidades (não os recrimino por isso). Acontece que eu sou romântico, e não me arrependo disso. Gosto de Ana Carolina e outros artistas da MPB (leiam "Musicalidade"), gosto de ouvir música clássica pra relaxar, não me importo se eu estiver em uma festa e depois de uma ou duas latinhas tiver que dançar pagode, samba, arrocha ou outro gênero parecido... E por incrível que pareça, eu sei dançar! Ou pelo menos foi o que disseram as que dançaram comigo. Aprendo fácil, garotas, não se preocupem com isso... Quanto aos estudos, dizem que eu sou um cara inteligente. Eu prefiro dizer que eu sou um cara esforçado. Meus pais são pobres, e minha mãe me educou, desde pequeno, a dar valor aos estudos, pois "sabedoria é a única coisa que ninguém pode tirar de você". Além do mais, sou negro e tenho que garimpar o meu lugar na sociedade. Tenho sonhos a conquistar, e dependo somente de mim mesmo para isso. Características que agregei à minha personalidade, e que me fazem parecer assim tão inteligente (como dizem), são apenas consequências disso. Realmente, eu sou preguiçoso, às vezes, gosto de ficar algum tempo fazendo nada, mas quando eu estou disposto, faço muita coisa (até demais). Fico finais de semana fazendo trabalhos, mesmo antes do professor passar a especificação dos mesmos, pesquiso sobre coisas relativas a eles (ou do meu interesse), reflito e amadureço conclusões e teorias (tais como aquela sobre as irmãs mais novas, ou sobre as mulheres mais velhas)... Daí, andando pela Orla Marítima de Salvador (a essas alturas, eu já devia estar no Rio Vermelho), lembrei-me de ter lido um artigo entitulado "Nerds Mandam Bem". E resgatando trechos a muito encravados (e a muito custo, diga-se de passagem) na minha tão ocupada e distraída cabeçinha, identifiquei-me com quase todas as características lá descritas, exceto a principal (leiam e descubram). De fato, pesquiso sobre as mais diversas coisas, inclusive as referentes a sexo. Algumas amigas minhas me chamam de "pervertido", e até já me recomendaram uma "Shanna in Pot" (qualquer semelhança com a Adriane Galisteu e aquela propaganda não é mera coincidência). Outras não conseguem falar abertamente sobre isso, e outras... Levo na esportiva, é claro, mas o fato é que além de nerd, sou tímido. Tímido pra todos os assuntos que envolvam relacionamento. Não costumo chegar "chegando", não acho que eu tenha "pegada", e não gosto (pra falar a verdade, detesto) beijo roubado. Tudo isso são sequelas de traumas de infância (posteriormente posso vir a escrever sobre isso). Tive poucas namoradas, não "fiz amor" com nenhuma delas, mas soube aproveitar cada momento para crescer como pessoa, e como amante. Gosto mais de dar prazer (eu disse prazer, tá?) do que ter prazer. Incrível como nós homens conseguimos dar prazer a uma mulher com apenas alguns toques, e sem abrir o zíper da calça... Já me disseram que eu abraço com a alma, que eu sou muito carente, que eu sou muito grudento, que meu beijo é uma delícia, e até que eu deveria parar de ler sobre sexo. Não costumo me influenciar, ou me orgulhar desses elogios, apenas me esforço pra melhorar. E quem ganha com isso? Tirem as suas próprias conclusões... Sou quieto, mas observo muito as pessoas, e tiro as minhas próprias conclusões a partir disso. Existem pessoas que se incomodam muito com esse meu jeito de ser, mas para estas, eu tenho apenas um "sinto muito". Ademais, para aquelas que ainda têm dúvidas ao meu respeito, que marquem uma pizza, uma cervejinha, um forró, ou algo do tipo. E aí... No final das contas, acabei andando de Ondina até a Boca do Rio, com muitas dúvidas e certezas na cabeça, além de uma tremenda dor nas pernas...
Veja Também: http://my.opera.com/docynho/blog/show.dml/185780 http://revistagalileu.globo.com/Galileu/0,6993,ECT545679-1719-3,00.html E estes aqui, somente se estiver num PC isolado do mundo exterior: Sexo oral nas minas... Mulhreres? Como nós, homens?
Comentários
1 Comentários

1 comments:

Breno disse...

Ahahahahaha! Bons links, viu, Soriano? Aquele "gesto de vem cá" quer fazer referência ao Ponto G, um pecado que ela não o tenha dado atenção, mas vá lá.

Enfim, vamos ao assunto principal: Essa coisa de ser nerd vem de uma distorção maluca que aconteceu na nossa sociedade, talvez motivada pelos filmes norte-americanos, que sempre fazem essa dicotomia estúpida nerd gordo de óculos inteligente e pega-ninguém vs. bonitão musculoso que é capitão de football e tem 20 namoradas. Lembro da minha época de escola, mesmo: bonito era tirar nota baixa, bonito era filar aula. Inclusive, na minha faculdade, que mantém um forte espírito colegial, tem gente que acha lindo beber 10 horas da manhã de uma terça-feira.

Essa carga perjotariva que atribuiram ao termo confunde tanto as pessoas que, por exemplo, as pessoas não sabem dizer se eu sou nerd ou só "intelectual". Aí optam pelo intelectual, porque minha paixão é mais voltada para a literatura e cinema que para a matemática e computadores. Há essa dicotomia besta também.

Foi feita uma pesquisa com homens e mulheres entre 25 e 40 anos, perguntando-lhes o que os atraia mais no sexo oposto. Aos homens (óbvio), aparência. Às mulheres, sucesso. Sucesso em nossa sociedade é o quê? É uma boa vida profissional, ô. E só quem consegue isso é quem pensa.

Garanto que o único problema contigo é que em CC tem pouca mulher pra se conhecer, ahahaha!

P.S.: Eu também sou tímido pra caramba em relação a chegar, pegar etc. Só a gente sentando um dia pra beber e conversar essas coisas, que, das poucas coisas que eu aprendi, uma foi a não ser integralmente sincero. E o fato de você não dizer que é tímido ajuda pra caralho. Aí não tem jeito: mulher quer homem com determinação. Por outro lado, elas não entendem que é mais fácil comandar um exército que se abrir pra alguém que se ama mas que não lhe dá bola. Portanto, não insista mais neste assunto, aqui no blogue.

P.P.S.: Last but not least: cê escreve bem pacas! :)

Abraço

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;