21 junho 2006

Satisfação pessoal x profissional

Para mim, é extremamente difícil (para não dizer impossível) definir formalmente as coisas com as quais as pessoas se sentem satisfeitas. Pior que isso, é fazer as pessoas entenderem que isso é tão pessoal quanto uma camisinha, uma peça íntima, ou o gosto pelas pessoas do sexo oposto (ou do mesmo sexo). As pessoas, por motivos diversos (que vão desde a educação familiar até a influência da sociedade), possuem prioridades diversas nos seus objetivos. Estava eu, novamente, indo da faculdade para o ponto de ônibus, conversando com outra amiga minha, quando surgem questões quase que indiscutíveis. Comento sobre a minha promessa pessoal: passar o curso (de Bacharelado em Ciência da Computação) todo sem pescar (ou colar, para os sulistas) ou repetir matérias (ou disciplinas). Para mim, isso é um desafio e tanto. Sempre fui esforçado (leia "Nerd? Eu?"), visto que nunca discordei da afirmação: "sabedoria é a única coisa que ninguém pode tirar de você". Além do mais, sou negro, nunca tive vergonha disso, e sou consciente de que as coisas para nós, marginalizados (leia-se negros, índios, quilombolas, portadores de necessidades especiais, estudantes de escolas públicas, homosexuais, etc) são sempre mais difíceis. Ter esse desafio em mente é o primeiro degrau da estratégia que eu chamo de "um objetivo por vez". Não se esforçar para fazer melhor o que quer que seja, devido a possibilidade de que isso não sirva de nada, para mim, é um retrocesso mental... Depois disso exposto, surgiram comentários com tom de censura, recriminação, ou algo parecido. Comentários estes, com o seguinte conteúdo (entre outras palavras, é claro): "Não vejo graça em passar o curso todo sem pescar ou repetir matérias, porque eu vejo tanta gente se formando com louvor e não conseguindo empregos bons". Penso comigo mesmo: estar numa universidade, por mérito próprio (e não pelo preço da mensalidade), fazendo o curso dos sonhos (e não aquele que é menos concorrido) é apenas esperar um certo tempo (o mais breve possível) para pegar o diploma? É certo que muitas das coisas que se vê numa faculdade não são usadas no dia a dia, visto que podem ser pesquisadas posteriormente. Mas será que elas não merecem o mínimo de atenção para que possamos fixá-las? Ninguém discute que os métodos de avaliação discente são falhos, mas algum é necessário... Não recrimino (discrimino, condeno, escumungo ou qualquer coisa do gênero) quem pensa de maneiras diferentes. Como disse, sou adepto da liberdade de pensamento e de expressão: cada um pensa o que quer, contanto que respeite a forma como os demais pensam (leia "Palavras e Efeitos Colaterais"). Têm pessoas que se sentem menos prejudicadas, se tirarem alguns finais de semana para beber até cair, transar além da conta, dormir até criarem teias de aranha, sumirem do mapa (metáforas, é claro). O fato é que eu não penso assim, e gostaria de ser respeitado por isso. Não sou daqueles que não passam pesca (cola) aos colegas, apenas não opto por recebê-las (assim como algumas pessoas optam por economizar água, energia elétrica, gastar menos papel, andar mais a pé, etc). Tenho uma consciência frágil o bastante para isso, e preciso provar para mim o tempo todo de que eu sou capaz. E que fique bem claro: não estou caminhando pelos caminhos da fé, apenas discutindo algo que é muito aquém de questões tão profundas quanto esta. Pessoas diriam (e com razão, de certo) que Deus é a referência, na qual devemos buscar estímulo e forças para alcançar os nossos objetivos, nesta vida e na(s) outra(s) (abstraiam-se de visões religiosas, apenas generaliso - talvez equivocadamente - aquilo que a maioria das pessoas ditas religiosas pensam, sejam espíritas, católicos, muçulmanos, judeus, etc). Creio que esse Deus de quem eles tanto falam (não me chamem de ateu por falar desta forma) me deu livre arbítrio para escolher os meus próprios caminhos, contanto que eu assuma as consequências destes. E assim como Ele dá a liberdade de escolha, creio que Ele também deseja que eu cresça, como pessoa, como profissional, como filho, pai, marido, e em todas as diversas outras facetas. A conversa parou de um jeito meio equivocado, onde cada uma das partes não queria mais ser ouvida, e meio que tacitamente, diziam uma a outra: "não vou tentar fazer você entender que eu penso assim, e acho isso o melhor". Só que eu continuaria: "...melhor para mim". Acho que a conversa deveria ter começado com um "eu penso que". Assim, não me sentiria desconcertado em ver faíscas saindo do meu ego, das minhas crenças e dos meus sonhos, como numa guerra de espadas e machados entre gregos e troianos... Veja também: Dúvida de um cara sobre que carreira seguir Onda Jovem
Comentários
3 Comentários

3 comments:

A disse...

Uma vez alguém me disse q não valia a pena um profissional se valorizar se na categoria existem vários outros se vendendo a preço de banana. Pq satisfazer uma necessidade pontual será sempre prioritário e incompatível com pensar no seu próprio futuro.
Q pessoas q se vêem nessa situação, dificilmente teriam iniciativa ou sequer possibilidade de um futuro diferente, e mais parecido com aquilo q elas queriam pras suas vidas desde início.

Eu discordo totalmente dessa afirmativa, pq visto q freqüentemente nos deparamos com obstáculos sobre os quais não temos nenhum controle - uma deficiência física, uma crise financeira na família, entre outros - q nos fazem ter q apelar p/ o primeiro bico q apareça, seria um desperdício universal q nós, enquanto seres pensantes e atuantes, não sejamos capazes de vislumbrar e agir no intuito de buscar uma outra realidade.
Se isso for verdade, o q nós fazemos aq, nesse mundo?

A disse...

O problema da Juventude hj é não enxergar perspectivas. É deixar q suas possibilidades sejam mascaradas por trás de um destino fatalista. Por isso q vc encontra tanta gente descrente de diploma, de formação. Mal sabem elas da grande carência do mercado de bons profissionais; e do abismo entre essas fábricas de graduados q se abrem e a Universidade Pública, de remendos de qualidade, mas q ainda está aí por causa dos teimosos q acreditam q ela pode ser ainda mais útil do q já é, e dos espertos q acreditam q ela pode ser ainda mais lucrativa do q já é.

Daniel Gomes Silveira disse...

[Comentários sobre POST + o texto sugerido: Tome as rédeas de sua vida]

"Que tens que é teu, senão o pecado? Toma para ti o pecado, porque é teu!"

"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?
Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações" (Jeremias 17:9)

"Porque do coração procedem maus desígnos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias." [Senhor Jesus Cristo](Mateus 15:19)

"Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados. Não temais, pois! Bem mais valeis vós do que muitos pardais." [Senhor Jesus Cristo](Mateus 10:29-31)

---

Soriano,

Parabéns pela sua decisão de permanecer firme no seu propósito de se formar na universidade pelas vias legais, com esforço e dedidação. De fato, você é um cara muito esforçado e que corre atrás dos seus objetivos... muito bom!

Entretanto, tenho questionamentos sobre a base de sua decisão, sua motivação para tal.

Minha experiência de vida (e tenho certeza que a sua também) tem testificado que não devo confiar em mim mesmo. Que as minhas próprias decisões, o meu umbigo e consciência não estão aptos para agir com proveito para o meu bem com perfeição. Até as mais altruístas e bondosas atitudes minhas estão manchadas com alguma gota de orgulho, egoísmo e soberba.

A experiência/história da humanidade em geral também tem mostrado que o homem (leia-se, 'ser humano') tem todo o seu ser inclinado para o mal. Veja as guerras, a violência, o desequilíbrio social absurdo, a exploração, a corrupção, o desamor, a fome, etc... etc.

Portanto, quero lhe sugerir um referêncial soberano seguro pelo qual você deve paltar suas decisões, atitudes, sua vida inteira. A Palavra de Deus (Bíblia).

O meu testemunho, e também de milhares de milhares de pessoas ao longo da história é que de fato este é o referencial seguro. Pessoas de todas as raças, línguas, culturas classes sociais podem testificar que nEla (a Palavra de DEUS) encontramos a Rocha!

Além disso, os seus benefício extrapolam esta curta jornada de 70-80 anos que vivemos. Seus benefícios são eternos.

Pense nisso...

Com preocupação e respeito,
Daniel Gomes Silveira.

P.S.: Segue abaixo mais alguns versículos (trechos) da Palavra de Deus para vc refletir:

"Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz para os meus caminhos" (Salmos 119:105)

"O SENHOR frustra os desígnios das nações e anula os intentos dos povos. O conselho do SENHOR dura para sempre; os desígnios do seu coração, por todas as gerações." (Salmos 33:10-11)

"Não confieis em príncipes, nem nos filhos dos homens, em quem não há salvação. Sai-lhes o espírito, e eles tornam ao pó; nesse mesmo dia, perecem todos os seus desígnos." (Salmos 146:3-4)

"De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Tema a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem." (Eclesiastes 12:11)

Postar um comentário

Regras são chatas, mas...

- Seu comentário precisa ter relação com o assunto do post;
- Em hipótese alguma faça propaganda de outros blogs ou sites;
- Não inclua links desnecessários no conteúdo do seu comentário;
- Se quiser deixar sua URL, comente usando a opção OpenID;
- CAIXA ALTA, miguxês ou erros de ortografia não serão tolerados;
- Ofensas pessoais, ameaças e xingamentos não são permitidos;